Cadernos de Seguro

Análise

Precificação de seguros sem consideração do sexo do segurado

Possíveis implicações no mercado

O principal fundamento para os prêmios e benefícios
dos seguros é a utilização de diferentes fatores de
risco – estatisticamente provados – em cálculos atuariais aplicados a cada indivíduo. Ao basear sua
sentença na Diretiva 2004/113/EC da União Europeia (a chamada “Diretiva de Gênero”), a Corte de Justiça Europeia decidiu, em 1º de março de 2011, que ficaria proibida qualquer diferenciação firmada com base no sexo do indivíduo, de modo que a igualdade
de gênero fosse assegurada no âmbito da UE a partir de 21 de dezembro de 2012. A decisão de proscrever, definitivamente, o uso do critério de gênero nos cálculos atuariais para precificação individual das coberturas pode ter importantes consequências para a indústria e os consumidores de seguros na União Europeia. Neste pequeno texto, uma série de implicações são discutidas.

Baixe aqui a matéria completa

29/07/2015 03h50

Por Hato Schmeiser, Joël Wagner e Tina Störmer

Professor do Instituto de Economia do Seguro da Universidade de Saint Gallen; Professor do Departamento de Ciências Atuariais da Universidade de Lausanne; e Professora doutora do Centro de Risco e Seguro da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurich.

Cadernos de Seguro - Uma Publicação da Escola Nacional de Seguros © 2004 - 2017. Todos os direitos reservados.