Cadernos de Seguro

Entrevista

Reforma previdenciária - Como será o amanhã

Ao que tudo indica, a reforma da previdência chegará para todos. Certo é que o debate em torno dessa questão deve se prolongar além do fim do ano. O motivo alegado é sempre amenizar os gastos com os benefícios, o déficit nas contas do governo, mas, m

Ao que tudo indica, a reforma da previdência chegará para todos. Certo é que o debate em torno dessa questão deve se prolongar além do fim do ano.
O motivo alegado é sempre amenizar os gastos com os benefícios, o déficit nas contas do governo, mas, mais do que isso, ajustar nosso sistema social a uma nova realidade de país que envelheceu. Há opiniões contrárias, entretanto.
Para esse debate, Cadernos de Seguro entrevistou os economistas Paulo Rabello de Castro e Eduardo Fagnani. O primeiro,atual presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), encaminhou um documento à Presidência da República delineando suas ideias sobre medidas fiscais e financeiras que retomariam o crescimento econômico do País, passando por uma proposta de reforma da Previdência Social brasileira. O segundo, pesquisador do Centro de Estudos Sociais e do Trabalho do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), afirma que a reforma previdenciária servirá para reduzir os investimentos nos programas sociais, prejudicando os assalariados, sem resolver os problemas econômicos nacionais, uma vez que desvio de verbas e inconstitucionalidade estão por trás de um falso déficit na Previdência Social.

Baixe aqui a matéria completa

06/10/2016 06h10

Por Olga de Mello

Jornalista

Cadernos de Seguro - Uma Publicação da Escola Nacional de Seguros © 2004 - 2017. Todos os direitos reservados.