Cadernos de Seguro

Opinião

O gerenciamento de risco, o ciclo de vida do produto e a cobertura de RCProdutos no exterior

O mercado calcula(va) o prêmio da cobertura de Responsabilidade Civil de Produtos no Exterior tendo por base os faturamentos com exportação nos últimos 12 meses anteriores à contratação do seguro e as estimativas de exportação dos próximos 12 meses, dividindo tais números entre três grandes áreas geográficas:
a) Estados Unidos e Canadá,
b) Europa Ocidental e Japão e
c) Demais países.

Essa, pelo menos, era a maneira do IRB como monopolista para estabelecer o prêmio da cobertura, considerando-se o ambiente jurídico reinante nas três áreas mencionadas. Com a abertura do mercado de resseguros, eventualmente houve uma diversificação da fórmula para calcular tal prêmio, de acordo com
o produto de cada seguradora, que pode ter mantido a base IRB ou só utilizar o faturamento dos últimos 12 meses ou estimativa dos próximos 12 meses, além de uma média dos 24 meses. Claro que cada base gerará um prêmio diferente. De qualquer modo, deve ter sido mantida uma divisão de países importadores em função do ambiente jurídico em cada um deles – o parâmetro que mais pesa entre aqueles utilizados.

Baixe aqui a matéria completa

01/12/2016 11h46

Por Osvaldo Haruo Nakiri

Analista de Riscos do IRB Brasil Re, integrante inicial da Comissão Técnica de RCG da Fenaseg em 2000, autor de vários artigos publicados pela Revista do IRB e pela Cadernos de Seguro, sendo nesta os mais recentes “A queda do ‘castelo de cartas’ – A crise mundial ou ‘pimenta nos olhos dos outros é colírio’” (edição 152) e “Maré alienígena” (edição 153)

Cadernos de Seguro - Uma Publicação da Escola Nacional de Seguros © 2004 - 2017. Todos os direitos reservados.